Vitrines da vida

Do olhar, das pessoas que passam, indecisas ou comprometidas, em seus pensamentos, em suas vidas, estressadas ou ponderadas caminham de lugar para lugar. Olhares que se cruzam, olhares a analisar, a instigar, de espanto, alheio, curioso, profundo, tendencioso, despercebido. Um universo e vida de olhares, mas todos eles, com tanta história para contar. Espelhos e reflexos, nuances e diferenças, por trás de cada um deles, na observação da vida uma porta aberta ao mundo. Vitrines da vida, não tão simples de entender. Tudo começa no olhar. Um olhar de cada ser. Continue reading Vitrines da vida

Divagações de uma mente artística…

Já me fez confusão o número de telas que tenho paradas, mas deixou de fazer, entendi que nem sempre tenho a inspiração para continuar o trabalho que estava a produzir em determinado espaço/tempo. Ao inicio, pensava que era falta de motivação ou vontade, mas não, estava errada, com o tempo apercebi-me que eu volto a pegar nelas. Existe outra explicação. Não pinto por pintar, preciso de sentir, estar na disposição – creio que há algo de espiritual na arte, quando a fazemos de coração. O artista é um ser emotivo e criativo, logo, se está inverno, como posso pintar as … Continue reading Divagações de uma mente artística…

Quando tudo muda

Um rebuliço, ou um sossego? Períodos sossegados, processamos e fazemos planos, tranquilamente assentamos ideias, motivamos o corpo, estimulamos o pensar, brisas correm, aragens passam, o mundo gira, e nós? No silêncio nos encontramos, de corpo e alma, sem grandes oscilações, estamos focados. Mas eis que surge o rebuliço. Damos o passo, movimenta-se todo o espaço, e o tempo, deixa de ter o mesmo número de horas, e o corpo, pesa, e as brisas, começam-nos a querer empurrar, as aragens, passam a correntes de ar, o mundo, passou a ser um peão, e nós? Somos um peão no mundo. O silêncio … Continue reading Quando tudo muda