Seja quem for

Durante muito tempo da minha vida me debati com questões bem complicadas, todos temos histórias para contar, por vezes, nem sempre queremos abrir todas as páginas e revelar. Atravessamos a vida com percursos mais ou menos marcantes, que nos podem deixar cicatrizes e, que com o tempo, até as podemos curar e revelar a melhor versão de nós – aquela que convive com as cicatrizes, que as aceita, que sabe que cada uma teve o seu papel. Eu, Irina, não sou uma pessoa complicada. Tenho uma postura um pouco diferente na vida, se calhar, um confronto que muitos artistas plásticos … Continue reading Seja quem for

Zoom in & zoom out

Confesso que não é muito fácil – focar – porque qualquer coisa nos faz – desfocar. E então temos que voltar fazer zoom in. É preciso um acto de coragem muito grande para deixar ir, deixar ir tudo o que nos faz agarrar, e ficar… e estar apenas, neste momento aqui. Quando passamos por algumas situações da vida paramos e depois, recomeçamos sentimos como se fosse um Nicolai Rimsky-Korsakov com o seu Flight of the Bumblebee, sim exactamente. Mas com o tempo, tornamos num Chopin Nocturne op.9, com vocação e tempo. Seguimos para um Claude Debussy Clair de Lune… é o que tentamos atingir. … Continue reading Zoom in & zoom out

Não faz mal

Não faz mal se hoje sentir triste, Não faz mal se sentir em baixo, Não faz mal haver um dia assim… Temos que aceitar as oscilações da vida, e isso não significa que sejamos “fracos”, como esse “rótulo” é uma palavra inventada por alguns. Aos que uns chamam fraqueza, eu chamo a tentativa de alguém nos derrubar através de palavras, em vez de nos ajudar. A palavra fraqueza é quando temos o corpo fisicamente debilitado (fome, doença etc… e mesmo dentro destes, pode haver força mental), e não sinónimo de estar triste. Discutem-se pontos de vista. Sim, há dias em … Continue reading Não faz mal

Como funciona.

Tentarei dizer o que posso, mas as mentes dirão o restante… Confesso que já senti medo de me levantar havia vozes que diziam que eu não era capaz. Mas já as ultrapassei à um tempo, contra-ataquei com escritos em papeis. Tomei controle de mim, olhei pela janela e gostei da vista. Comecei a obedecer só a mim, ao espectável do que conseguia. Acredito e já não receio, são lutas que me movem, que fazem girar, ganhar coragem, acreditar, fazem viver com toda a força que está dentro de nós. Somos o que permitimos que nos aconteça. Somos o que a … Continue reading Como funciona.

Surpresa!

Durante muito tempo tive tendência a ser apanhada de surpresa com comportamentos de pessoas, os quais, claro, ficava sem jeito, sem palavras ou pior de tudo, reagia de cabeça quente. Todos nós temos isto na nossa vida, as situações em que somos apanhados desprevenidos, e alguém faz-nos algo só para se sentir bem esquecendo-se que ao seu lado está um ser humano que sempre o apoiou e que tem emoções também (podem ser mais ou menos controladas mas têm, e tem período de acção). Digamos que, antigamente eu ia a jogo sem protecções laterais, corria, corria, corria, corria e atingiam-me … Continue reading Surpresa!

Confiança.

Tema interessante – confiança – tema este, que até à uns tempos atrás não podia ouvir falar. Durante a minha vida sempre tive grandes problemas em confiar (sim, claro, todos temos), o problema maior é quando essa confiança condicionava aspectos da nossa vida, aí tornam-se problemáticos. A confiança tem que vir de dentro, enquanto ela não estiver estruturada por dentro, nunca há-de ser manifestada para fora, isso aprendi no decurso desta minha aprendizagem. Sempre houve muitos assuntos que me senti à vontade de falar e de opinar por causa de saber e experimentar diversas coisas mas um pequeno abalo, e … Continue reading Confiança.

Como encaro um problema

Hoje deparei-me com um problema. Daqueles, que se eu deixar, vão-me consumir por dentro, vão apontar dedos, criar revoltas, fazer chatear, tirar sonos, fazer passar o dia todo a pensar nisso… bem, esses problemas. Hoje, esse problema, referente ao passado que me atormentava e culpava a outra pessoa e depois fazia tomar atitudes que me faziam culpar a mim, caiu-me em cima. Acho, que se lhe chamar “fantasma recorrente do passado” faz com que ele (problema) se torne um pouco menos pesado, não acham? De vez enquanto tenho que viver, este “fantasma recorrente do passado”, que já não me atormenta mais. … Continue reading Como encaro um problema

Sou optimista!

Sou optimista, sou, é verdade… Aquela pessoa que os teus amigos dizem “És uma optimista”, embora sempre acompanhada com um torcer de nariz. Sou aquela pessoa que ninguém gosta de ter por perto. Digo isto, porque é uma verdade que observo diariamente, nos meus relacionamentos. Vivo a vida de forma positiva, não sou iludida, e também vejo a vida de forma racional e a realidade perceptível através das minhas emoções e sensações presentes. Mas, sou optimista racional introspectiva – que mistura! É só para esclarecer, que os optimistas não são alheados da realidade. Constatei, poucos gostam de me ter por … Continue reading Sou optimista!

Apontamentos de viagens (parte I)

Ir para realidades tão contrastantes e ser indiferente? Não está no meu ser – passar ao lado. Se as compreendo e sei em que patamar se encontram? Sim sei, mentalidades e histórias não foram iguais. Criam culturas e diferenças por todo o mundo. Fito o azul do mar e tento não pensar em nada, não consigo, uma tranquilidade inquietante, atormenta-me. Porquê? Os meus pensamentos começam numa luta, de justificações, história, cultura, mentalidades… Já não tenho mão neles. Parto para a busca das justificações, não as consigo. Existem pontos em comum e variantes nas pessoas, como, em todos os sítios, não … Continue reading Apontamentos de viagens (parte I)

Auto-realização

A auto-realização é pessoal, é algo que em algum ponto da vida nos comprometemos de alma e coração. É um ponto de viragem na vida, requer contexto, passado e futuro, mas acima de tudo presente. O real, viver a realidade contextualizada, num mundo onde existe muita descontextualização, porquê? Egos. Muitas vezes, quando escrevemos, hà uma torção ou distorção de realidades, de quem as lê, ora, por identificação pessoal, ou por outras razões. Quando pintamos, o mesmo acontece, vemos coisas que queremos. Quando fotografamos, a identificação, pode ser idêntica. Isto, acontece inúmeras vezes em meios artísticos, é natural, este texto irá … Continue reading Auto-realização

Still much to learn / Ainda muito a aprender

“Today I realized that I still have much to learn. Sometimes good feelings make us make bad decisions – so its better don’t see or ear or even speak – this way you can continue follow your path without questioning what did I donne? From now it’s better to remind me of that, keep searching for my inner self, finding answers to my questions and don’t interfere with others paths.”     “Hoje percebi que ainda tenho muito a aprender. Às vezes, bons sentimentos fazem-nos tomar decisões erradas – então é melhor não ver, ouvir ou até mesmo falar – … Continue reading Still much to learn / Ainda muito a aprender