Centenário de comemoração da Bauhaus

Hoje comemora-se o centenário da fundação da Bauhaus (Bau, de construção, arquitectura; Haus, casa). A sua fundação foi a 12 de Abril de 1919, logo após a primeira guerra mundial, e deveu-se ao arquitecto Walter Gropius que foi inclusive seu primeiro director. A Bauhaus cria não só um estilo mas um mecanismo de dialeto, baseado num processo racional centrado na exactidão e na economia mundial. A escola que aliava a arte, arquitectura e design com o objectivo de criar uma arte total. Resultou da fusão de dois projetos similares anteriores, a Escola de Artes e Ofícios de Weimar e da … Continue reading Centenário de comemoração da Bauhaus

Organizações, mentais e profissionais

Vocês não me conhecem mas, eu sou a pessoa mais desorganizada do mundo, quer dizer, no que toca às minhas próprias coisas. Digamos, no meu ponto de vista eu não me considero desorganizada, mas no panorama geral, sou. Não sei bem se me fiz entender com isto?! Ora, quero tanto ser organizada que acabo por complicar demasiado a organização e torna-se desorganização, mas eu entendo-me lá no meio, o problema é quando “alguém vem mexer nas minhas coisas”, refiro-me, em casa, claro. No trabalho, não sei porquê sempre me consideraram o exemplo da organização (quando eu acho que fica qualquer … Continue reading Organizações, mentais e profissionais

Quando um filme te relembra momentos únicos.

  Ontem vi o filme The Greatest Showman, já há bastante tempo que o andava para ver, mas só ontem é que o consegui ver. Não estava com grandes expectativas acerca do filme, sabia que se tratava de uma espécie de musical onde entrava o Hugh Jackman (actor que aprecio bastante… por variadas razões… ) e era sobre um circo ou sobre um espectáculo musical. Digamos que, tive das mais agradáveis surpresas, podem dizer o que quiserem e classificarem como quiserem, para mim ele proporcionou-me momentos únicos. Porquê? Ora, tem a ver com as nossas experiências de vida, não é? … Continue reading Quando um filme te relembra momentos únicos.

Preto no Branco

Apenas vou partilhar uma reflexão que, pode ou não ter sentido, análise solta, peças que não encaixa, a propósito da sociedade, a qual, por vezes, tenho que questionar. São apenas pensamentos, se alguém tiver algo a acrescentar ou a partilhar, agradeço. Várias questões se levantam na minha cabeça, uma delas é, a rapidez com que chegou ao meu país a histeria colectiva deste fenómeno – este despertar/desesperar do espírito consumista.  São várias as alturas do ano que a televisão/anúncios em pc, entre outros meios, nos invadem a mente com a lembrança “têm que comprar” – Natal, dia da mãe, dia do … Continue reading Preto no Branco

Questionem e pensem.

Não sou ninguém extraordinário para vos dizer isto, e muitos dos meus leitores, acredito que já o fazem mas nunca é tarde para recordar – questionem e pensem. Cada ser é exclusivo, por isso, questionem e pensem, não assumam que tudo o que vos é incutido é real. Os meios de comunicação social e mesmo as pessoas, hoje em dia, sabem perfeitamente que as redes sociais e os média são óptimos instrumentos de manipulação social. Porquê? Não é mais fácil ouvir a noticia e ver a imagem, acreditar que aquilo é uma verdade, do que procurar os factos concretos? O … Continue reading Questionem e pensem.

Rescaldo de Monchique.

Marcelo Martins através de Youtube Todos os anos, todos os Verões, vemos a repetição dos mesmos cenários, já começa a ser normal – a época dos incêndios em Portugal, alguém o referiu e eu subscrevo. Será normal, um país ter uma época de incêndios, questiono? Sim porque tem sido tão observável a forma como eles têm vindo a disparar nestes últimos anos que já não consegue passar despercebido. Aquecimento global tem sido um desastre, é verdade, elevadas temperaturas, outro desastre, poluição, sim muita… Agora, quando se trata de questões criminosas, como o caso de fogo posto, o que fazer nesta situação? … Continue reading Rescaldo de Monchique.

Porto, hoje, medidas urgentes.

Prefiro começar este post com uma pequena contextualização, dentro destas vozes que se erguem, por ali e por aqui, eu não sou ninguém, ser sou, mas não sou gente que tome partidos ou seja influente em qualquer âmbito ou círculo. Sou apenas uma mera apreciadora de vivências, tradições, sociedades, emoções, de almas e gentes. Portanto, quem sou eu? Posto isto, questiono-me “o que é que se anda a passar na mui nobre, sempre leal e Invicta”? Primeiro, questiono os seus habitantes, desde quando é que perderam o encanto por esta cidade? Desde quando é que deixaram de frequentar as ruas, … Continue reading Porto, hoje, medidas urgentes.

Sobre amor, paixões e outras coisas.

Começo pela paixão, por ser mais frequente. Acho que é algo que nos acontece surpreendemente – andamos por aí e de repente – oh! borboletas, coração acelerado e lá estamos nós, apaixonados. Facto é, não há como escapar, é um sentimento que passamos várias vezes na vida por várias coisas, pessoas, animais e coisas materiais. É muito profundo, encantador, torna-nos impulsivos e irracionais. Faz-nos caminhar numa linha muito ténue entre loucura e sobrevivência, desabamento e abismo, encantamento e fantasia. Acontece a cada passo da nossa vida. Eu vivo apaixonada, e vocês? Amor, é o que fica de uma paixão, que … Continue reading Sobre amor, paixões e outras coisas.

A informação e o séc. XXI.

Estamos no século XXI, e a informação flui por todo o lado, já deixamos de estar cingidos apenas à televisão e rádio, e agora a internet espalha-se à velocidade da luz. Cada vez mais, há transmissão de dados, informação, conhecimento, e que sorte a nossa estarmos no meio de toda esta partilha – uma era da comunicação. Mas não estivemos sempre? Acho que sempre tentámos criar mais pontes, para comunicar mais e melhor, e, com maior rapidez? Talvez até para chegar a mais gente? Vejamos, do telefone, passamos para o telemóvel, que já incorporava a mensagem, este, evoluiu a olhos … Continue reading A informação e o séc. XXI.