Vitrines da vida

Do olhar, das pessoas que passam, indecisas ou comprometidas, em seus pensamentos, em suas vidas, estressadas ou ponderadas caminham de lugar para lugar. Olhares que se cruzam, olhares a analisar, a instigar, de espanto, alheio, curioso, profundo, tendencioso, despercebido. Um universo e vida de olhares, mas todos eles, com tanta história para contar. Espelhos e reflexos, nuances e diferenças, por trás de cada um deles, na observação da vida uma porta aberta ao mundo. Vitrines da vida, não tão simples de entender. Tudo começa no olhar. Um olhar de cada ser. Continue reading Vitrines da vida

Divagações poéticas artísticas

Preto e branco, num véu de encanto. Mas não é só preto ou branco, por vezes há nuances, e os cinzas também são chamados, nas suas variadíssimas escalas. Por mais que queiramos simplificar, a mente vai buscar cor, preencher o vazio. Mas, e a magia da cor? A tela branca que tanto me encanta, faz-me sonhar e o meu pincel tocar, uma batuta que marca um ritmo. E com as mais variadíssimas cores, criam o meu mundo imaginário, de formas e linhas se constrói, algo que vai ser inesperado. Será? Aí começa a disputa de espaço, uma luta de estratificação. … Continue reading Divagações poéticas artísticas

Rumo ao momento

Rumo ao tão aguardado momento, movo entre expectativa e ansiedade, perco a noção da prática, pois sou tomada pela emoção. Assumo o lugar de passageira, nos desertos da minha imaginação, fujo a tempestades de areia, que me trazem de novo à razão. Sei que me contradigo, em tudo o que tenho falado, mas neste rumo para aquele destino, o racional é um pecado. Ponto de abstracção, sem definição, cabe a cada um a interpretação, de um momento descuidado. Continue reading Rumo ao momento

Passo a passo…

Enquanto houver estrelas no céu,que me permitam olhar,vou fixar toda a sua plenitude.e permitir-me sonhar.Durante anos não vi estrelas,estiveram timidamente escondidas.Imperceptíveis numa névoa,de dor e humilhação.Mas um novo acordar,fez-me despertar, a mente,para o presente,sentir, sem dor nem reprovação.Permitir sentir,apenas sentir-me,no momento,olhar-me e ser feliz.Gosto de abraçar o dia,e acariciar a noite.São pequenas conquistas,que nos fazem viver um dia devagar.    Continue reading Passo a passo…

Ventos que passam.

Dentro da minha mente passam-se coisas, que não são visíveis, nem ditas, o que permito que se veja são apenas cabelos, a voarem ao vento. A mente ninguém vai compreender, não tentem entrar dentro dela, não conseguirão. O que se pensa, pensa, o que se acha, acha, mas são cabelos, ao vento. Na necessidade de atenção incansável. Da tua boca saem palavras contraditórias, apregoas palavras ao público lindas e brancas, mas nos bastidores moveste-te como sombra negra e escura.  Fantasmas que me perseguem, sempre com a mesma assombração, puxam-me para irrealidades não minhas, através da manipulação. E eu, à muito tempo, … Continue reading Ventos que passam.