Só mais um… não obrigado!

Só mais um e desapareci,só mais um e esvoacei, entrei no nevoeiro,esfumacei.Só mais um numa infinidade,sem individualidade,mundo de massa,sem visão.Só mais um sem voz,sem nada a acrescentar,no meio da multidão,rouco.Só mais um número,só mais um ser,cartão, bilhete, coisa,número.Sempre a somar,mais um,quantidade,número. Quem nos torna? Ser mais um?Lutemos por nossas ideias,não sejamos apenas mais um,sigamos os nossos sonhos,pensamos individualmente,para compartilhamento colectivo. Colectivamente, mesmo com diferença, somos fortes,apenas temos que nos compreender,entender que o outro não é nosso reflexo,não é um número mas um individuo.Somos várias ideias,somos várias crenças,somos várias culturas,somos várias histórias,não somos reflexos nem espelhos.Por isso, ao contrário do que nos fazem crer,somos … Continue reading Só mais um… não obrigado!

Caminho menos percorrido

Optei pelo caminho menos percorrido. Há um certo encanto em percorrer caminhos menos percorridos, são sempre estes, que me acrescentam, desafiam e fazem-me crescer, conhecer, amplificar a visão, perceber que não há lados certos ou errados – mas existem lados/caminhos. É no meio das dificuldades, das tempestades e das novidades que os nossos olhos se abrem. Caminhando por florestas pouco trilhadas, nunca sabemos o que se encontra do outro lado das árvores, trás-nos a surpresa e o desafio da incerteza, se vamos ultrapassar o que se depara à nossa frente – quase sempre conseguimos, porque somos sobreviventes, arranjamos soluções criativas … Continue reading Caminho menos percorrido

Seja quem for

Durante muito tempo da minha vida me debati com questões bem complicadas, todos temos histórias para contar, por vezes, nem sempre queremos abrir todas as páginas e revelar. Atravessamos a vida com percursos mais ou menos marcantes, que nos podem deixar cicatrizes e, que com o tempo, até as podemos curar e revelar a melhor versão de nós – aquela que convive com as cicatrizes, que as aceita, que sabe que cada uma teve o seu papel. Eu, Irina, não sou uma pessoa complicada. Tenho uma postura um pouco diferente na vida, se calhar, um confronto que muitos artistas plásticos … Continue reading Seja quem for

Consulta para o médico

Hoje traz-me aqui uma história, nem tenho categoria para isto, é baseada em factos reais. E eu, que nem sou muito de contar histórias, mas hoje vou partilhar um pensamento sobre uma analise feita numa sala de espera de um consultório médico. É verdade. O outro dia fui ao médico, e tive que esperar 10 horas pela consulta. Quando uma consulta está agendada, é normal se atrasar, vá, 10 minutos, 15, 1/2 horas, (depende se público ou privado) eu esperei 10 horas. Já me haviam alertado que, para ir aquele especialista se esperava muito tempo e que o senhor fazia … Continue reading Consulta para o médico

Zoom in & zoom out

Confesso que não é muito fácil – focar – porque qualquer coisa nos faz – desfocar. E então temos que voltar fazer zoom in. É preciso um acto de coragem muito grande para deixar ir, deixar ir tudo o que nos faz agarrar, e ficar… e estar apenas, neste momento aqui. Quando passamos por algumas situações da vida paramos e depois, recomeçamos sentimos como se fosse um Nicolai Rimsky-Korsakov com o seu Flight of the Bumblebee, sim exactamente. Mas com o tempo, tornamos num Chopin Nocturne op.9, com vocação e tempo. Seguimos para um Claude Debussy Clair de Lune… é o que tentamos atingir. … Continue reading Zoom in & zoom out

Não somos feitos para multi-funções.

Numa sociedade cada vez mais exigente, o ser humano, começa a ter tendência a tentar acompanhar este ritmo frenético. E a nossa mente tem a tendência de ir a correr atrás. Por vezes começamos por partir de um plano muito simples, digamos, um sonho que é possível concretizar e, se nos focarmos absolutamente nele e desenvolvermos sabemos que é exequível. É tudo bem simples, “o propósito” está lá, chegamos a essa conclusão depois de uma análise bem profunda e um conhecimento de nós próprios e dos nossos valores. É o concretizável, simples. Tudo isto é bem simples não fosse a … Continue reading Não somos feitos para multi-funções.

Confiança.

Tema interessante – confiança – tema este, que até à uns tempos atrás não podia ouvir falar. Durante a minha vida sempre tive grandes problemas em confiar (sim, claro, todos temos), o problema maior é quando essa confiança condicionava aspectos da nossa vida, aí tornam-se problemáticos. A confiança tem que vir de dentro, enquanto ela não estiver estruturada por dentro, nunca há-de ser manifestada para fora, isso aprendi no decurso desta minha aprendizagem. Sempre houve muitos assuntos que me senti à vontade de falar e de opinar por causa de saber e experimentar diversas coisas mas um pequeno abalo, e … Continue reading Confiança.

Questionem e pensem.

Não sou ninguém extraordinário para vos dizer isto, e muitos dos meus leitores, acredito que já o fazem mas nunca é tarde para recordar – questionem e pensem. Cada ser é exclusivo, por isso, questionem e pensem, não assumam que tudo o que vos é incutido é real. Os meios de comunicação social e mesmo as pessoas, hoje em dia, sabem perfeitamente que as redes sociais e os média são óptimos instrumentos de manipulação social. Porquê? Não é mais fácil ouvir a noticia e ver a imagem, acreditar que aquilo é uma verdade, do que procurar os factos concretos? O … Continue reading Questionem e pensem.

Estados ou estações?

É mesmo assim, determinados períodos identificamos tons vermelhos, amarelos, laranjas e castanhos, cores da terra e mente serpenteia e agita nessas cores, nesses estados, nesses textos, nesses pensamentos. Poderia dizer que estaria numa espécie de Outono? Até que, dás por ti, com a tua mente a vaguear em cores azuis e marinhos, brancos, cores do céu e do mar, e o teu pensamento anda nesses nuances, nessa identificação que pode parecer, de acordo com a simbologia das cores, um estado calmo. Entrei agora no Verão? Provavelmente, numa análise mais profunda, terei passado de umas vibrações mais energéticas e optimistas para … Continue reading Estados ou estações?

Rescaldo de Monchique.

Marcelo Martins através de Youtube Todos os anos, todos os Verões, vemos a repetição dos mesmos cenários, já começa a ser normal – a época dos incêndios em Portugal, alguém o referiu e eu subscrevo. Será normal, um país ter uma época de incêndios, questiono? Sim porque tem sido tão observável a forma como eles têm vindo a disparar nestes últimos anos que já não consegue passar despercebido. Aquecimento global tem sido um desastre, é verdade, elevadas temperaturas, outro desastre, poluição, sim muita… Agora, quando se trata de questões criminosas, como o caso de fogo posto, o que fazer nesta situação? … Continue reading Rescaldo de Monchique.