Mandalas, processos contínuos

Uma das minhas ultimas mandalas. Esta deu-me um pouco mais de trabalho que as anteriores devido ao dobro do tamanho. Desta vez optei por não fazer em tela mas sim em folha de tela. Já tive contacto alguns amigos, artistas iranianos, que acham as minhas mandalas similares à iluminura persa, fui pesquisar, e creio que tem algumas influências, provavelmente por gostar tanto da arte e dos pormenores artísticos deles. As coisas que o nosso inconsciente traduz é incrível, cada vez que pinto, conheço-me um pouco mais, tem sido uma jornada incrível em conhecimentos de outros artistas e, em especial do … Continue reading Mandalas, processos contínuos

Mandala de Março

Esta deu-me algum trabalho, especialmente porque me pus com algumas “invenções” nas tintas onde tive a prova viva que comprar mais baratas nem sempre dá o melhor resultado, às vezes acabamos por gastar mais e, no fundo, ter que usar as tintas melhores porque só com elas é que conseguimos os resultados pretendidos. Não sou contra os materiais mais baratos, eles são bons para experiências, não para algo que perdure no tempo. Com ela, completo a minha série de pequenas mandalas que andei a desenvolver em telas de 16cm x 16cm, onde tentei não repetir os mesmos padrões das anteriores. … Continue reading Mandala de Março

Quadro Abstracção

“Esse ponto de contato interior, apesar de toda a sua importância, não é, entretanto, mais do que um ponto. Após o longo período de materialismo de que ela está apenas despertando, nossa alma acha-se repleta de germes de desespero e de incredulidade, prestes a soçobrar no nada. A esmagadora opressão das doutrinas materialistas, que fizeram da vida do universo uma vã e detestável brincadeira, ainda não se dissipou. A alma que volta a si permanece sob a impressão desse pesadelo. Uma luz vacilante brilha tenuemente, como um minúsculo ponto perdido no enorme círculo da escuridão. Essa luz fraca é apenas … Continue reading Quadro Abstracção

A arte de criar.

Artista plásticos tem a sua voz nas mãos, mas antes de sua voz lá chegar, passa por um longo processo. Ao sentar-se em frente de uma tela tem que manter sua mente vazia, limpa de tudo o que é concreto, físico, e manter esse espírito para que a cor, a linha e imaginação sejam os únicos intrusos na sua cabeça. Criar é estar em frente a uma tela, é libertação e desconstrução, requer estes processos porque é aqui que a obra vai nascer. Num diálogo entre artista e obra de linhas que se devem cruzar ou não, de traços que … Continue reading A arte de criar.

Durante muito tempo imaginei.

Quando se vive das artes, cria-se inúmeras inspirações, é recorrente os artistas se inspirarem aqui e ali. Viverem de sonhos e delírios, oh que coisa tão frequente! O que são musas? O que é a natureza? Etc… nem vou entrar por aí. Como pintora, seria desonesta não admitir que tenho as minhas inspirações, umas mais mediáticas que outras, umas visíveis outras menos visíveis. Hoje, creio que me apercebi de algo, inventei um personagem na minha cabeça que tem servido de inspiração, é estranho admitir isto, um(a) amigo/a imaginário. Aprendi muito com esse personagem, tanto mas tanto que é complicado verbalizar. … Continue reading Durante muito tempo imaginei.

Torre dos Clérigos, em aguarela

Nas minhas experiências, buscas e questionamentos de novos materiais resolvi experimentar pintar com aguarela/aquarela. O meu forte são pinturas a acrílico, conheço os seus procedimentos, como o material responde, como reage… Desta vez, quis sair da minha zona de conforto e tentar novas técnicas e materiais. Depois de uma primeira experiência (que nem me atrevo a postar a imagem) tentei pintar, apenas a aguarela, a Torre dos Clérigos, vista de lado. Foi apenas uma experiência para ver como se comportava a tinta e o suporte. Ainda pensei em aplicar guache por cima mas, como foi a minha primeira tentativa, deixei … Continue reading Torre dos Clérigos, em aguarela

Eu e arte.

Quando me sinto a divagar, olho para a minha tela e tento-me focar, é nesse momento que todos os pensamentos se vão embora, fico ali a imaginar o que vou criar. Mas num mundo de tanto e de tudo, não consigo ser artista, sou amadora, apenas pinto o que vejo, a realidade, o imediato, artista é mais que isso. Artista passa mensagem, nos dias de hoje, eu pretendo, união, felicidade, afecto, empatia, solidariedade, entre outros, são temas que é importante valorizarmos, mas ainda, não os consigo representar. Represento o imediato, o visível, não me sinto artista… E dentro de tudo … Continue reading Eu e arte.

Desafio

“Um dos meus sonhos já foi realizado. Voo de balão na Kapadokya, Turquia.” Falo de sonhos, tenho bastantes, construo com facilidade esses sonhos. Parto da premissa que basta termos uma ideia, a mente é poderosa, e se a soubermos entender o mundo pode ser muito encantador. Ter uma ideia, partir de uma linha, de um ponto, lutar para atingir algo, é tudo uma questão de desenvolvermos um pouco esta capacidade. Com o tempo os processos de regeneração são incrivelmente rápidos. Falo de coisas abstratas, claro, mas existem tantos estudos que já nos revelam estes processos. Neuroplasticidade, inteligência emocional, há quem … Continue reading Desafio